oncontextmenu='return false'>

quinta-feira, 17 de novembro de 2011

Cobranças

Dias atrás eu estive em uma consulta na intenção de mudar de anticoncepcional, aqui na Suécia (creio que em vários outros países) nesses casos você não é atendida por um médico, será atendida por uma barnmorska, ou seja, uma parteira, elas são enfermeiras que trabalham na área de obstetria e controle de natalidade.
Chegando ao consultório fui recebida muito bem, ela me perguntou o que estava se passando eu respondi que estava precisando de uma receita para comprar anticoncepcional já que o meu tinha acabado, ok respondi aquelas perguntinhas médicas básicas e em seguida ela muito educadamente me disse assim:

Renata você não acha que ao invés de vir aqui pedir anticoncepcional você deveria estar se preparando pra ser mãe? Afinal daqui a pouco você estará com 35 anos de idade e nunca teve um filho!! 

Oremos  ‘’Segurai Ohhh pai, segurai  aiaiaia a minha língua pra não mandar essa mulher catar coquinho na ladeira ’’

Muito P da vida achando ela uma sem noção eu respondi também educadamente porque eu sou muito Phyna:

Senhora, eu, aliás, o casal nós não temos nenhuma intenção de ter filhos agora e se um dia eu mudar de idéia será porque eu decidi que é à hora certa, por enquanto eu quero terminar os meus estudos e encontrar um trabalho, e depois disso tenho outros projetos que não incluem filhos AGORA, mesmo eu gostando muito de crianças.

Tradução=  Não enche o meu saco e escreve logo essa receita!

Aqui é normal ver mulheres com aquela escadinha de filhos + um gato e 2 cachorros, o índice de natalidade aumentou muito nos últimos tempos por aqui, eu não sei se é porque o governo ajuda com dinheiro,escola em tempo integral, licença maternidade de 1 ano e paternidade de quase 3 meses. Até então tudo bem eu acho o máximo quem curte uma família grande, mas o que me irrita nisso tudo é o quanto a sociedade te cobra quando você não se enquadra com a maioria.
As suecas são bem feministas querem direitos iguais em tudo e homem aqui não tem muita nenhuma moral, as suecas têm bem aquele estilo A chefona, entre os casais as tarefas domésticas e educação dos filhos é bem dividida e quando elas decidem ir pra boate bate cabelo o pai fica em casa cuidando da prole, mas mesmo vivendo dentro desse feminismo todo sinto que aqui a pressão é maior em relação a filhos, mais que no Brasil.
Mas digo a vocês meus queridos e milhares de leitores, eu como sou uma mulher arretada e de opinião firme não me deixarei levar pela pressão da colega dona parteira, então caso um dia eu escreva um post anunciando que estou grávida será porque a barnmonstra OPS barnmorska  armou um plano contra mim e me receitou pílula de farinha.

16 comentários:

  1. Vou ter que falar que rachei horrores dela te perguntando se não ta na hora de ter filhos ... sabe que eu tenho 19 ainda, mas no jantar do meu casamento a familia do maridinho já comecou falar que a gente já poderia comecar a pensar em ter filhos, bla bla bla ... povo doido isso sim! kkkkkkkkkkkkkk ... to correndo de criancas!! Boa sorte aí com a Dona Parteira ;) Beijão!

    ResponderExcluir
  2. kkkkkkk! To rindo sozinha!

    Eu tenho duas lindas filhas com 14 e 11 anos. Não trocaria minha vida de mãe por nenhuma outra, mas também não saio por aí recomendando a maternidade para todo mundo.

    A verdade é que ser mãe dá muuuuitoo trabalho mesmo. Vc está certíssima em pensar bem antes de ter filhos e não deixar se influenciar pela opinião (ou pressão) de ninguém. É algo que vai mudar a sua vida para sempre, não só externamente, mas internamente e de maneira irrevogável.

    Agora, se algum dia vc resolver que quer ter filhos, posso dizer também que é uma experiência incrível e única!


    Bjs,
    Ia

    ResponderExcluir
  3. Renata, concordo plenamente. Aqui nem a família do meu marido toca no assunto de filhos. Ainda não tenho tempo e nem vontade pra pensar sobre o assunto. Beijos.

    ResponderExcluir
  4. Na verdade eu vou escrever sobre isso logo mais, quero só ver a polêmica, mas sério, eu não tenho o dom da maternidade, então deixo para as pessoas que podem criar seres humanos maravilhosos essa responsabilidade.

    beijos

    ResponderExcluir
  5. Oie Renata, nao tive como não rir, hehehehe, que mulherzinha danada de atrevida menina! Mta ousadia dela se intrometer na tua vida desse jeito, eu hein! vc é das minhas, arretada e decidida, hahaha.

    Voltei ao mundo virtual, hehe, por enquanto com menos frequência que antes. To visitando os blogs para colocar as visitas em dia.

    bjiimm e ótimo final de semana

    http://meuamorpaquistanes.blogspot.com/

    http://muslimahfashionn.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  6. Adoro ler suas postagens. Quando chegar a hora vc saberá. Tenha um bom fim de semana e uma semana de paz e muita alegris. Carinhos

    ResponderExcluir
  7. Que atitude nada sueca!Fiquei surpresa,rsrs.
    Quero ser mãe algum dia, mas vai demorar alguns anos ainda... acho legal curtir o casamento primeiro ou o "samba" rsrs.

    Abraços

    ResponderExcluir
  8. hahahaha e vc escreveu a tradução do que vc quis dizer a la maneira super mega educada né escorpiana? hahahaha

    Está certíssimaaaaaa !!!!!!!! td ao seu tempo e não das donas parteiras e afins rs rs

    beeeeeeijos!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  9. Sei nao vice...tem umas que parecem duas!!
    Essa cratura nao tem o que fazer nao é?
    Rapaz eu tinha tido, MÔ BEMMM quero as PIULAS rss nao quero CUNCELHU nao...rsss
    oras que coisa!!! um xeru minha nega.

    ResponderExcluir
  10. Boa noite, querida amiga Renata.

    Nossa...
    Se eu fosse você, da próxima vez iria buscar a receita em outro local. Vai que ela lhe passa as tais pílulas de farinha...

    Tenha uma linda semana.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  11. Nossa, isso definitivamente NAO eh problema dessa mulher, ne? Que desagradável!!!

    ResponderExcluir
  12. Já tinha ouvido da fama macho que as suecas têm.Lá e cá eu escuto isso tb e me dizem que não existe a hr certa pra ter filho, daí eu respondo: quando o que vc e seu marido fatura por mês dá só pra pagar as contas e sobra um pouquinho ali, está na cara que essa não é a hr certa.

    Renata eu bato palma pra vc. Vc está certíssima. A última coisa que vc quer é ter que colocar menino na sua vida quando ainda não experimentou a cultura no seu nivel total como residente desse país.Assim como vc, eu quero me infiltrar mais na cultura, terminar meus estudos, trabalhar e etc, ter uma vida "normal" como eu tinha no Brasil antes de ter pimpolhos.

    A hr certa quem sabe é a gente. Fez bem em ter dado uma resposta fina :)!

    Bjos

    ResponderExcluir
  13. Renatinha, tem um selinho pra vc lá no meu blog.. bjoooos

    ResponderExcluir
  14. Caramba Re, hoje mesmo li e comentei em um blog exatamente sobre esse assunto!!!
    Das intrometidas que querem saber quando voce vai ter o tal filho...rs!!!!
    Imagino o saco que nao deve ser!!!Pior é a satisfação que se acaba dando mesmo sem querer...
    Que a pílula nao seja de farinha...rs...
    Beijocas!!!

    ResponderExcluir
  15. Oi linda, um lindo domingo pra vc. Tenha uma semana maravilhosa. Carinhos e muitas beijocas

    ResponderExcluir
  16. Eu concordo plenamente com vc! Filho é muita responsabilidade, uma decisão que não deve ser tomada levando em consideração apenas o fator idade.
    Eu hein, que mulher intrometida!

    Beijos!

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário!
Obrigada pela visita e volte sempre!!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...