oncontextmenu='return false'>

sexta-feira, 8 de fevereiro de 2013

As suecas e o autoritarismo



Dias atrás eu vi uma reportagem sobre uma mulher (sueca) que quis bater no marido e coloca- ló pra fora de casa porque ao invés de comprar a pizza que ela pediu ele comprou um kebab.
Ela jogou o kebab em cima dele e escadaria abaixo e o coitado ficou com medo e chamou a policia pra ela.
Esse é um exemplo exagerado que eu tirei pra analisar a forma que uma parte das mulheres suecas tratam os seus conjuges.

Feminismo
S. m.
Sistema dos que preconizam a ampliação legal dos direitos civis e políticos da mulher ou a igualdade dos direitos dela aos do homem.

Sou totalmente a favor sobre a igualdade de direitos entre homens e mulheres que infelizmente em pleno 2013 ainda recebem salários menores em relação ao dos homens, porém acho que tem horas que as suecas pegam pesado em relação ao tratamento com o parceiro, só de ouvir o tom de voz autoritário de algumas delas já fica fácil ter uma noção de como é a coisa.
Eu já presenciei várias cenas de mulheres tratando o seus maridos como se eles fossem um perfeito idiota, entendam bem,  eu não sou uma mulher ‘machista’, eu só acho que o ‘extremismo” seja ele machismo ou feminismo é nocivo independente de onde ele venha.
Falando em machismo é claro que sempre vai ter alguém dizendo que o motivo dos 'gringos' procurarem mulheres de países mais pobres para casar seja uma forma de dominio e manipulação, discordo totalmente, claro que no inicio existe sim um dependencia devido ao idioma, adaptação e condição financeira mas sinceramente não creio que essa situação inicial  faça a diferença na hora da escolha de uma parceira, na verdade eu acho que é amor mesmo.
Ajudar a cuidar dos filhos e cooperar com as tarefas em casa parece que pra elas não é o suficiente a prova disso é que os suecos estão cada vez mais se casando com estrangeiras, pois bem, se elas não querem ou não estão satisfeitas  lá na Tailandia tem quem queira rsrs, taí a matéria abaixo que não me deixa mentir.

 

Homens suecos estão se casando com tailandesas



A Suécia emergiu como o país com a maior percentagem de homens locais com esposas - ou parceiras - tailandesas. Para além de um crescente número de trabalhadoras a viajar para a Suécia como operárias sazonais, o número de mulheres tailandesas a chegar à Suécia aumentou 3 vezes nos últimos 10 anos.
Mais de 80% das imigrantes tailandesas a viver na Suécia encontram-se num relacionamento ou são esposas de homens suecos. A Suécia, tal como a Alemanha, tem uma longa tradição de buscar mulheres tailandesas para esposas ou parceiras para toda a vida.

A Suécia é um dos poucos países onde existe uma segunda e terceira geração de tailandeses que, no entanto, retém uma forte ligação com a Tailândia.

O incremental influxo de jovens mulheres tailandesas tornou-se, agora, agora num assunto político.

No ano passado uma governadora duma província rural da Suécia pediu a governo para analisar a situação, investigar o abuso e talvez limitar o número de mulheres tailandesas que recebem permissão para entrar no país. Esta mulher recebeu agora um mandato - proveniente do governo sueco - para investigar a tendência migratória actual, embora agências governamentais e académicos de renome tenham já levado a cabo estudos qualitativos em torno da natureza do crescente número de relacionamentos entre homens suecos e mulheres tailandesas

Embora a Suécia se identifique como um dos países mais liberais da Europa, o governo está preocupado que esta imigração se torne num assunto problemático e causador de discórdia.

É um testemunho da paciência do homem em geral - do homem sueco em particular - o facto destes evitarem desencadear manifestações agressivas e violentas - em jeito de resposta à forma misândrica como eles são tratados - mas que, em vez disso, eles optem pela via pacífica e adulta, rejeitando por completo as tóxicas mulheres suecas. Afinal, quem é que se quer casar com uma mulher que tem uma opinião tão negativa dos homens?
Antes que alguma feminazi diga que esta situação está, de alguma forma, relacionada com a prostituição, note-se que os suecos trazem as mulheres tailandesas e casam-se com elas (ou vivem um relacionamento sério). Contrariamente à mitologia em torno do filme "Pretty Woman", os homens que possuam opções não se querem casar com prostitutas.

Outra coisa que convém notar é a duplicidade do governo sueco em relação à imigração. Ao mesmo tempo que não oferecem qualquer tipo de resistência à imigração maometana - que genuínos problemas tem causado ao país - eles dão início a investigações em torno da imigração de . . . . mulheres tailandesas. Aparentemente homens que gritam "Allah akbar" ao mesmo tempo que decapitam homens e mulheres são menos perigosos do que mulheres pacíficas tailandesas.

O propósito disto é mais do que óbvio: poder de escolha. As mulheres suecas não querem que os homens suecos tenham poder de escolha no que toca às mulheres com quem eles se querem relacionar. Elas, as feministas suecas, aparentemente são de opinião que podem tratar o homem sueco da forma que elas acharem melhor, e depois esperar que ele rasteje até ela na altura do casamento ou no momento do relacionamento sério.

Dito de outra forma: as feministas suecas evitam fazer uma análise do seu comportamento como factor causador da recusa masculina em ter qualquer relacionamento com elas, e no seu lugar, avançam propostas que visem limitar o poder de escolha dos homens que elas tão mal têm tratado nos últimos 40/50 anos.

Texto: fonte


30 comentários:

  1. Não concordo com esse negócio de homem mandar mais ou mulher mandar mais. Sou a favor o equilíbrio mas em alguns casos , quando um é banana , o outro acaba 'montando em cima' . Já vi um casal de adolescentes brigando na rua porque o garoto se recusou a carregar os cadernos da namorada. Ela jogou tudo no chão e disse: Pega! Se você não pegar , não precisa vir atrás de mim. Ele pegou e saiu correndo atrás dela . Imagina se esses 2 resolvem se casar ?! Esse mundo tá perdido mesmo!

    ResponderExcluir
  2. Caraca Renatinha! Lembrei agora de uma conversa q tive com vários colegas de trabalho dinamarqueses.
    Eles falaram a mesma coisa. Um deles é casado com uma boliviana, o outro com uma brasileira.

    Tb tenho um amigo que morou mais de 3 anos na Dinamarca e o que ouvi dele foi algo super estranho. N é uma questão de querer igualdade, algumas mulheres da Dinamarca (que é perto daí) exageram na dose, n deixam um homem ser homem e isso é muito estranho ao meu ver.

    Elas nem aceitam ajuda pra carregar uma sacola. Ora mais! Que bobagem! Meu povo, pra que isso?
    Se eu preciso de ajuda, eu peço pra homem ou pra mulher! Qual o problema em assumir que se precisa de ajuda?
    Isso é falta de maturidade. TB n devemos esquecer que quem quer respeito, respeita e q é bom tratar os outros como queremos ser tratados, né?

    Acorda, mulherada!!!
    hehe

    Beijão,
    Rebeca
    xoxo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rebequinha em um lugar desse aí, eu seria um marajá do século 21 Hehehehehe. agora como é que será lá nesse lugar, na hora de fazer amor? só ela por cima??? e pra trabalhar é só ela que trabalha em casa e na rua???

      Excluir
  3. Igualzinho aqui na Holanda hahahahah Na verdade é o tal fato: ninguém quer ceder...não dá certo mesmo.rs Tanto que há muitas mulheres, lindas, bem sucedidas e loiras e totalmente sozinhas! Sem contar que elas querem que os homens a tratem como verdadeiras rainhas...acho que rola aí um pensamento muito sem noção desta mulherada, achando que a vida é como os filmes de amor no cinema....ai ai ai, viu! rs Bjs

    ResponderExcluir
  4. Uau, admirável sua opinião sobre essa relação entre o homem e a mulher aí, como sempre ótimo post Renata. Puss

    ResponderExcluir
  5. Caramba! Acho que isso acontece em quase todos os países onde as mulheres resolveram se transformar em super-mulheres mas de uma maneira que as cegam em relação a uma análise real de seus próprios comportamentos e do tipo de relacionamento gostariam de ter... e pensar que o mundo seria tão melhor se todos fôssemos capazes de cumprir a simples citação: Ponha-se no lugar do outro. Amei teu post Renata! Beijos e um ótimo fim de semana!

    ResponderExcluir
  6. Olá, Renatinha!
    E elas, já começaram a trazer homens de fora ou estão solteironas?
    Deve ser interessante uma família compostas por gerações de tailandeses aí na Escandinávia... Como será que as filhinhas se comportam?
    Adorei a reflexão, e continue postando estas curiosidades para nós, tão distantes.
    Beijão do leste paulista.

    ResponderExcluir
  7. Eu também acho que aqui as vezes as mulheres exageram.

    O Johan me trata como um rainha aí não tem como não tratá-lo como um rei, rsrs.

    Agora esse negócio de rainha e servo não rola, tem que ter uma troca!

    Beijos

    ResponderExcluir
  8. OMG Re...é aí assim mesmo? Que absurdo! Sou totalmente contra machismo e feminismo, ninguém é melhor que ninguém na relação. Se a situação ta assim e quanto ao índice de divorcio? Afinal Ninguém merece conviver desse jeito.
    Beijos querida até mais

    ResponderExcluir
  9. Homens do mundo inteiro se casam com as Asiáticas. A Tailandesas, Filipinas e Vietnamitas são um bom exemplo disso. Há muitas na Australia, na Nova Zelandia, na Inglaterra.
    Mas nãos e pode esquecer do turismo sexual que esses países oferecem. Muitos homens vão á Asia especificamente para encontrar uma "namorada".
    Também já ví inumeros casos de homens muito mais velhos que se casam com asiáticas bonitas e jovens e tem acordos financeiros envolvidos no casamento.
    Claro que toga generalização é burra, mas eu conheço muitos casos.

    ResponderExcluir
  10. Renata, sempre vejo você por aí, ou no blog da Inaie, ou da Rebeca, ou da Bah, ... e da Sandra, mas nunca entrei em seu blog. Hoje, motivado pelo título da postagem (porque o mundo tá virando de ponta cabeça, rs) eu entrei. Lí a postagem, gostei muito e aí fui ver de quem era o blog. Da Renata ou Renatinha como muitos dizem. Pensei comigo: Putz! Perdi tempo não vindo aqui antes, contudo como tempo não é meu problema (sou eterno, kkk!) a partir de agora passo a seguir seu maravilhoso blog. Vou segui-lo e persegui-lo.
    Beijos
    Manoel

    ResponderExcluir
  11. Como a maior parte das meninas falou... isso rola no mundo todo.
    Acho que nunca tinha visto mesmo no Brasil. Somos mais EASY, sabemos ser mulheres, maes, e ter multiplos papeis sem sair da linha... e por essa razao que mtos gringos gostam da mulher brasileira.
    Na Italia, vejo tb muita coisa esquisita... minha sogra grita o dia inteirooo com o marido (mas acho ela meio desiquilibrada mesmo!).
    A mulher italiana se dedica mais aos filhos e esquece do marido e alem disso tb sao as campeas na traiçao!!!
    Uiaaaa

    ResponderExcluir
  12. Tambem sou contra extremismos seja para um lado ou para o outro. Equilibrio e respeito em uma relacao e fundamental, e a mulherada por ai ta facil nao heim...rs. Gostei do texto e da reflexao que ele traz, principalmente no final quando ele fala que agora as feministas estao querendo e acabar com o poder de escolha dos homens. Triste essa situacao ai heim.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  13. Renata concordo com voce e parabens por esse post super interessante.
    Aqui nos EUA 'e a mesma coisa,antes de me casar meu marido vivia dizendo que nao queria se casar com qualquer pessoa e que as americana sao muito feministas,querem falar alto e serem donas da razao,o amigo dele falava super mal das americanas inclusive ele 'e divorciado de uma e eu pensava que era exagero ate um dia irmos a casa de um amigo dele e a mulher do homem nos tratou super mal e olha que ela disse que tava doida pra me conhecer,a mulher era linda,tinha filhos lindos,uma casa linda mas era super arrogante,o marido dela tentava o tempo todo ser legal e ela mal olhava na nossa cara,nao aguentamos e fomos embora e no dia seguinte ela tinha mandado varias mensagens com pedidos de desculpas,tem muitas que sao super legal,mas a maioria sao assim,o marido ajuda com tudo e elas nunca estao satisfeitas,nao ha porque a mulher querer ficar acima do homem ou virse versa acho que cada um tem seu papel fundamental na familia.

    ResponderExcluir
  14. Mega interessante a sua postagem, Renata.
    A situação não é simples... Mulheres que querem usar terno ao invés de vestidos pagam sim um preço pór esta escolha. Homens se sentem sitiados com muita independência e força, e isso não necessariamente significa que a mulher deva ser o sexo frágil. Mas ela deve sim ter a consciência de que não vive sozinha e que, sobretudo, não se completa em si mesma.
    Claro que algumas pessoas se preenchem. Mas no geral, o papel do outro é de extrema importância na vida.
    O que vejo claramente nos países super desenvolvidos é a sublimação do papel do outro, em função da elevação do próprio ego. Não compartilho dessa visão. Pra mim 1 + 1 = 2. Não 1/2.
    Eu quero mais é ser cuidada, ser amada e amar meu parceiro com todos os mimos que ele tem direito. E se as suecas estão dormindo no ponto, as asiáticas e sul americanas não estão.
    Tenho um amigo sueco que diz que nunca vai se casar com uma sueca. Ele diz que quer ser o homem da casa.
    Acho que a colocação dele descreve o sentimento de muitos suecos...
    Bjim
    Márcia

    ResponderExcluir
  15. Muito interessante este post Renata!! Eu tb não acredito que para que uma relação dê certo tenha que haver demonstração de força e poder, isto de ambos os lados! Independência é bom, desde que bem dosada, como tudo na vida.
    Agora sobre as tailandesas, na boa, só não se casa com elas quem não quer...rs.... Existe praticamente uma indústria de casamento pelos lados de lá! Já ouvi de pessoas que viajaram para lá e para as Filipinas, dizerem que casamentos/encontros foram oferecidos abertamente. Já vi por aqui mesmo, meninas asiáticas super novinhas com velhos!! Me dá dó delas e nojo deles! Enfim, quando a gente vê a situação de miséria em que ALGUMAS vivem, a gente não pode julgá-las. Bjs e bom final de semana!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sandra, ri com seu coment...concordo com vc hahaha A maioria vem de famílias pobres e com poucos recursos e quando conseguem um "bom casamento" já se dão por mulheres super bem sucedidas. Quanto a ter dó, eu já não tenho muito não. Algumas são bem dominadoras sendo bem submissas...entendeu o trocadilho? rs

      Excluir
  16. Vejo o mesmo problema aqui. Os casamentos entre americanos e estrangeiras crescem cada vez mais. Essa semana mesmo ouvi uma mulher dita da igreja dizer em alto e bom som:"Tá vendo que eu não vou cortar o cabelo dele, deixa ele fazer!Vou lá consumir tempo da minha agenda pra isso!" Detalhe o cortar cabelo do marido era simplesmente passar a máquina no 1, algo que não leva nem 10 minutos.

    É ridículo ver esse tipo de comportamento.A pessoa achar que tem o direito de pisar no outro por ser mulher ou homem.Isso é infantilidade.É orgulho, é gente que tem o rei na barriga e quer algo por nada.Uma pessoa dessas só presta sozinha.

    ResponderExcluir
  17. Engracado né, aqui na Alemanha as mulheres normalmente casam e tem filhos que é a minoria ou fica juntado com um ou fica solteira e trabalha a vida toda. Eu sempre digo, minha mae e tias trabalham, sao boas donas de casa, boa e boas maes e pronto. Neste caso querer é poder. Um homem nao quer uma mulher que quer ser o homem da casa. Um homem quer uma grande mulher que trabalhe, mas que tambem queira ter filhos com ele e ser uma familia feliz. Nao sou machista ou feminista, mas as vezes um lado ou outro quer passar do limite para uma familia ou um casal serem felizem.

    ResponderExcluir
  18. Renata sempre escrevendo coisas maravilhosas, esse blog é demais gente!

    ResponderExcluir
  19. Olá sou homem, português, muito viajado pela Europa e não concordo com o que aqui foi dito quer pela autora quer nos comentários subjacentes a este artigo. Já estive na Suécia, onde visitei Estocolmo e Malmo e digo sem problemas nenhuns que sou FÃ das mulheres suecas e da sua mentalidade. Acho as mulheres suecas muito mais interessantes, quer fisicamente quer intelectualmente ou socialmente, do que as portuguesas (sou português, por isso conheço-as bem), espanholas e brasileiras (conheço algumas que vieram para Portugal no programa Ciência sem Fronteiras e Erasmus Mundus). A culpa são dos homens suecos que são fracos mentalmente, e deve ser por isso que as mulheres suecas procuram cada vez mais os homens portugueses, espanhóis e italianos. Por exemplo um homem sueco não tem iniciativa para nada e só toma essa iniciativa quando é puxado aos limites, são fãs da rotina o que enerva completamente as mulheres suecas e para meterem conversa precisam de beber muito álcool. As mulheres suecas são o perfeito exemplo do que todas as mulheres do mundo deveriam ser: Lindíssimas, Simpáticas, Inteligentes, Sociáveis, tem um enorme bom gosto para se vestir e maquilhar, não olham ao estatuto nem aos bens materiais do parceiro, são lutadoras e trabalhadoras. E muitas agem como o artigo refere, devido a terem sido durante séculos maltratadas pelos homens vikings (homens nórdicos, de onde se inclui os suecos). Minha opinião sobre o artigo não é uma critica às mulheres suecas mas sim tem o intuito de enaltecer as qualidades das brasileiras demonstrando que são as mais simpáticas, as mais carinhosas, as mais afáveis etc, etc, e que as restantes, neste caso as suecas, são brutas e não dão valor aos homens suecos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O que voce disse nao tem cabimento! Eu posso dizer que as suecas sao frias, nao estao muito preocupadas com o sentimento do namorado ou marido, e quando tem filhos querem continuar tendo a mesma vida que tinham antes, de solteira. Ao contrario do que vc diz que os suecos nao tem iniciativa, acredito que voce quis dizer: eles sao na verdade flexiveis, diferentemente dos homens brasileiros e portugueses que sao demasiadamante grossos e arrogantes tratando se de esposas e namoradas, no caso, a brasileira entre outras, sabem designar o papel de mae,esposa,trabalhadora muito bem, ela sabe efetuar tudo isso com dedicacao e carinho, ja a sueca,ou europeia que seja, NAO!!

      Excluir
  20. Olá sou homem, português, muito viajado pela Europa e não concordo com o que aqui foi dito quer pela autora quer nos comentários subjacentes a este artigo. Já estive na Suécia, onde visitei Estocolmo e Malmo e digo sem problemas nenhuns que sou FÃ das mulheres suecas e da sua mentalidade. Acho as mulheres suecas muito mais interessantes, quer fisicamente quer intelectualmente ou socialmente, do que as portuguesas (sou português, por isso conheço-as bem), espanholas e brasileiras (conheço algumas que vieram para Portugal no programa Ciência sem Fronteiras e Erasmus Mundus). A culpa são dos homens suecos que são fracos mentalmente, e deve ser por isso que as mulheres suecas procuram cada vez mais os homens portugueses, espanhóis e italianos. Por exemplo um homem sueco não tem iniciativa para nada e só toma essa iniciativa quando é puxado aos limites, são fãs da rotina o que enerva completamente as mulheres suecas e para meterem conversa precisam de beber muito álcool. As mulheres suecas são o perfeito exemplo do que todas as mulheres do mundo deveriam ser: Lindíssimas, Simpáticas, Inteligentes, Sociáveis, tem um enorme bom gosto para se vestir e maquilhar, não olham ao estatuto nem aos bens materiais do parceiro, são lutadoras e trabalhadoras. E muitas agem como o artigo refere, devido a terem sido durante séculos maltratadas pelos homens vikings (homens nórdicos, de onde se inclui os suecos). Minha opinião sobre o artigo não é uma critica às mulheres suecas mas sim tem o intuito de enaltecer as qualidades das brasileiras demonstrando que são as mais simpáticas, as mais carinhosas, as mais afáveis etc, etc, e que as restantes, neste caso as suecas, são brutas e não dão valor aos homens suecos.

    ResponderExcluir
  21. Você vai me desculpar, mas a partir do momento que você se valeu do termo feminazi, perdeu completamente a credibilidade comigo.
    Graças às ditas feminazis, que hoje você usufrui de muitos dos seus direitos, no Brasil ou na Suécia. Sem mencionar sua opinião conservadora e preconceituosa no que diz respeito aos muçulmanos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Conservadora e preconceituosa são as feminazes com as pobres mulheres tailandesas e porque não as brasileiras também, para elas você é menos do que nada. Feminismo não é uma religião sem defeitos, aonde quem reclamar tem que ser apedrejado. Muita coisa ruim saiu disso.

      Excluir
  22. ok, ok, como faço para conhecer, uma mulher sueca ? gosto de feminista rsrs

    ResponderExcluir
  23. como faço para conhecer uma sueca ? para mulher liberal melhor coisa do mundo, dou meu apoio! mas onde posso conhecer uma sueca, ajuda ae pessoal

    ResponderExcluir
  24. Concordo! Estou na Suecia a quase 3 meses e ja ouvi varias reclamacoes sobre como as suecas tratam seus namorados ou maridos, e de uma frieza tamanha e se eles ficam doentes elas nao estao nem ai...E que quando elas tem filhos elas querem continuar tendo a vida que tinham antes... Acredito que esse seja uns dos motivos dos Suecos estarem cada vez mais se casando com estrangeiras, meu noivo mesmo disse que elas sao frias e nao gostam dela, e que nos brasileiras somos carinhosas e atenciosas!!! derreti!

    ResponderExcluir
  25. Elas sao frias e os maridos que se danem, nao se trata apenas de feminismo, estamos falando de frieza rapazes acima!

    ResponderExcluir
  26. COMO POSSO FAZER PARA ENTRAR EM CONTANTO COM UMA MENINA SUECA? EXISTE ALGUM SITE DE NAMORO SÉRIO.

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário!
Obrigada pela visita e volte sempre!!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...